Schasta

Design + Anime + Manga + RPG + Programação

  • RSS
  • Delicious
  • Facebook
  • Twitter

Décimo segundo dia – Londres

Posted by schasta fevereiro - 24 - 2015 0 Comment

Hora de mudar o fuso-horário e pegar o Eurotunnel rumo a Inglaterra!  Já digo que não tem nada de emocionante nesse trem, além de despertar a claustrofobia,  é tudo escuro embaixo da terra, nada para se apreciar…

 

 

Ao chegar na estação de Londres  nos deparamos com o inglês diferente da região, foi trabalhosa a comunicação sobre os tours com a garota da central de informações. Fugimos do metrô na Alemanha, mas, em Londres não era possível fugir dele, é o melhor meio para se chegar nos pontos turísticos e no hotel. Compramos uma cartela com tickets com acesso a todas as linhas, ficava mais barato.



 

 

 

Próximo ao hotel localizamos uma lanchonete que vendia frango frito, ah que saudades do frango frito! Cada uma pediu  ”uma” porção que era barata, mas, não era realmente uma porção e sim duas, vinha até um potinho de feijão junto! Sofri para comer toda a carne, joguei fora o feijão (que dor) e levei as batatas fritas para o hotel (que no dia seguinte também foram jogada fora :( ). Estufada do jeito que estávamos, ainda teríamos que arranjar espaço para a janta com a Lívia…

 

 

 

 

 

 

 

Informei o endereço do hotel para a Lívia e ela foi nos encontrar lá, fiz questão de prender o cabelo igual a foto que enviei pra ela, e até passei corretor nos olhos, para não parecer um zombie ambulante, a Dady se impressionou com a mudança na fisionomia! A Lívia nos levou para um pub que faz parte da rotina dos londrinos,  onde comemos um lanche típico de lá, que tem suas peculiaridades. Foi muito bom conhecer a Liv-chan pessoalmente, uma brasileira que adora a cultura japonesa, que se mudou e se casou em Londres, pena que ela teve muito pouco tempo para passar com a gente, a viagem era longa para voltar para a área residencial de Londres, e não foi possível encontra-la outro dia :( .

 

 

 

 

 

Depois de ultrapassar os limites do meu estômago, era óbvio que eu ia precisar de um sal de frutas, após aliviar o estômago tentamos ter uma boa noite de descanso. Não posso esquecer de comentar do banheiro do hotel, que era do tamanho do de um avião…

 

 

 

 

 

E não havia wi-Fi no hotel, só um computador da idade da pedra que te permitia inserir uma moeda de 1 libra e usar a internet por 10 minutos… o recepcionista insistia que eu devia usar a internet da lan house próxima ao hotel, e eu respondia que só precisava enviar meu email diário para a família, não precisava de uma internet rápida…